2022 FEV 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20

a8_1.jpg
 
11 fevereiro 2022
Centro Cultural Yves Alves
R. Direita, 168
17h
Gratuito

Água, lixo, consumismo e arte - esses são os fios condutores deste debate, com a presença dos artistas visuais Mari Mael, Nelson Cruz e Rick Rodrigues, e de Hélio Mattar, diretor- presidente do Instituto Akatu pelo Consumo Consciente.

02. Nelson Cruz. Foto do autor para FliBH. Divulgação.jpg
 
11 fevereiro 2022
Centro Cultural Yves Alves
R. Direita, 168
18h30
Gratuito

Frágil. Cuidado. Bruto. Peso. Conteúdo. Produto. Pisar. Esses são fragmentos das narrativas de Benjamin, que evocam marcas do nosso tempo em sua desesperada dureza. De caixas de papelão usadas – lixo para a maioria das pessoas, mas trabalho e sobrevivência para outras – Nelson Cruz resgata imagens e palavras e com elas faz poesia, transformando pesos brutos em alguma delicadeza, fragilidade em possibilidades e produtos em convites. No suporte do papelão e com informações que descrevem e orientam o transporte, empilhamento e guarda de produtos os mais diversos, o artista faz seu luto por paisagens que já não existem em muitas de nossas cidades e vão se tornando imperceptivelmente ausentes dos nossos corações. Os tocos retorcidos que restaram das árvores cortadas de uma avenida em Belo Horizonte são reinventados em pinturas que se sobrepõem a instruções sobre sabão, água sanitária, pó de café e embutidos, despertando dor e revolta pela vida interditada, sombras perdidas, ar que não será respirado e beleza que não será vista. Benjamina poderia ser lido como desesperança, mas o simples fato de ter sido criado e nos chegar como livro já configura uma forma de resistência, diferente, porém tão potente quanto os momentos em que ocupamos as ruas e entoamos nossas exigências por vidas e tempos mais justos para todas as pessoas.

 

Lançamento realizado com  presença do autor e com o apoio da Editora Miguilim.

 
Heitor-Villa-Lobos-e1620254642725.jpg
11 fevereiro 2022
Igreja São João Evangelista
R. Padre Toledo, 242
20h
R$ 40 | R$ 20 (meia-entrada)

Camille Saint-Saëns
(1835 - 1921)

Sonata para fagote e piano op. 168
- Allegro moderao
- Allegro scherzando
- Molto adagio - Allegro moderato

Frédéric Chopin
(1810 - 1849)

Noturno op. 27/1
Noturno op. 27/2
Noturno op. 48/1
Noturno op. 32/2
Rondo op. 1

Heitor Villa-Lobos
(1887 - 1959)

Hommage à Chopin (Noturno)
O Canto do Cisne Negro

Músicos
Catherine Carignan, fagote

Anna Kandinskaya, violino
Jacob Katsnelson, piano
Gustavo Carvalho, piano