Bárbara Freitag & Sérgio Paulo Rouanet_e

Homenagem
Festival Artes Vertentes

Bárbara Freitag e Sérgio Paulo Rouanet 

 

A décima edição do Festival Artes Vertentes homenageia o casal Bárbara Freitag e Sérgio Paulo Rouanet. Os propósitos éticos que orientam a atuação do casal de intelectuais na produção de conhecimento nos campos da sociologia, filosofia, psicologia e educação ao longo de décadas confluem com as crenças que norteiam o Artes Vertentes desde a sua criação, em 2012: usar as diferentes linguagens artísticas para inspirar a reflexão sobre temas relevantes para a sociedade contemporânea. 

Em 2021, o olhar universalista e iluminista de Bárbara Freitag e Sérgio Paulo Rouanet escolhem a cidade de Tiradentes para sediar o Instituto Rouanet, que se dedicará a proteger e expandir o legado do pensamento do casal Freitag-Rouanet, em defesa da cultura e da educação, com uma ênfase na emancipação e no respeito à dignidade humana. O Festival Artes Vertentes acredita que nossas frentes de trabalho, correndo distintas e paralelas, fluem na direção de confirmar o protagonismo do ser humano na produção e disseminação de ideias que combatem a injustiça, a opressão e o obscurantismo.

Bárbara Freitag

 

Bárbara Freitag é professora emérita da UnB-Universidade de Brasília, onde lecionou por 30 anos. É membro eleito do PEN-Clube do Brasil (2006) e da Academia Brasileira de Filosofia (2013). No Instituto Rouanet, assume a Diretoria Acadêmica. 

Emigrou com a família da Alemanha para o Brasil em 1948, aos sete anos, e constituiu sua formação acadêmica no trânsito entre os dois países. Fez o curso primário e o secundário no Brasil e a graduação e a pós-graduação na Alemanha. Em Frankfurt, foi aluna de Adorno e Horkheimer. Em 1967, defendeu sua tese de mestrado sobre Gilberto Freyre, Celso Furtado e Florestan Fernandes, e, em 1972, o doutorado sobre Política Educacional Brasileira. Tornou-se uma brasilianista e latino-amerecanista na Alemanha e também uma teórica da Escola de Frankfurt, tendo participado dos fervorosos embates na universidade em 1968. Florestan Fernandes foi o mediador de seu retorno ao país, convidando-a para lecionar no Brasil.  Ingressa então no corpo docente da Universidade de Brasília. 

Publicou os livros Escola, Estado e Sociedade e Diário de uma Alfabetizadora, nos quais apresenta uma abordagem transformadora da escola. Sua dimensão de educadora está também estreitamente ligada aos estudos de Psicologia. Entretanto, a sociologia constitui a dimensão central da formação intelectual de Bárbara Freitag. 

Lecionou ainda em universidades estrangeiras, entre elas a Universidade Livre de Berlim e foi professora visitante de várias universidades brasileiras: a Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, em 1979; a Universidade Federal de Minas Gerais, em 1985; a Universidade de São Paulo, em 1989; a Universidade Federal da Bahia, em 1995; e a Universidade Estadual do Rio de Janeiro, em 1998-1999.

 

Sérgio Paulo Rouanet

Secretário nacional de Cultura (1991-1992) e diplomata de carreira, Sérgio Paulo foi embaixador do Brasil na Dinamarca e na República Tcheca. É o oitavo ocupante da Cadeira nº 13 da Academia Brasileira de Letras, eleito em 23 de abril de 1992. Foi professor visitante na pós-graduação em sociologia da Universidade de Brasília (UnB), professor do Instituto Rio Branco e professor visitante da University of Oxford, no Reino Unido.

É graduado em ciências jurídicas e sociais pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, com pós-graduação em economia pela George Washington University, em ciências políticas pela Georgetown University, e em filosofia pela New York School for Social Research, as três nos Estados Unidos. Na USP, fez o doutorado em ciência política. Foi o primeiro titular da Cátedra Olavo Setúbal de Arte, Cultura e Ciência do IEA. É Presidente Honorário do Instituto Rouanet.