NOV/DEZ 2020

Q

S

S

D

S

T

Q

Q

S

S

D

Role para baixo para acompanhar a programação do dia.

DSC_2649_photo_Balazs_Borocz.jpg

CICLO POROROCA

Água: fonte de sabedoria

17h

DSC_3215_photo_Balazs_Borocz.jpg

MÚSICA

Concerto VIII

20h30

Lucimelia_Romao-60@EdouardFraipont120720

PERFORMANCE

Mil litros de preto

3 dezembro 2020

Filhas de Lavadeiras.00_30_53_04.Quadro0

CINEMA

Catálogo de filmes
Créditos_Marlon de Paula-9153.jpg

ARTES VISUAIS

Confluência entre o pensar, o fazer artístico e o manifestar.
 

CICLO POROROCA

Água: fonte de sabedoria

Com a participação de Dona Liça Pataxoop, Vovó Cici e Mestre-Capitão Prego.


Mediação: Marilda Castanha.

Neste encontro com D. Liça Pataxoop, Vovó Chica e o Sr. Prego, temos não só uma confluência de saberes tradicionais, como também a constatação de que suas vozes, olhares e vivências, são narrativas  vivas, contemporâneas, que nos oferecem permanentemente possibilidades de nos reconectarmos com nossa própria ancestralidade.

17h
 

​MÚSICA

Roberto Victório (1959):

-Tetragrammathon 14

-Medo da Chuva

-Depois do Mar...Nada

Almeida Prado (1943-2010):

-Sonata para violino solo

 

Roberto Victório:

-Estu(du)o

-4 Instantâneos

-Exominiaturas II

Almeida Prado:

-Sonata para vibrafone e piano

Músicos:

Renata Vanucci, soprano

Sofia Leandro, violino

Gustavo Carvalho, piano

Bruno Santos, percussão

Fernando Rocha, percussão

20h30 
Concerto VIII
 
27 novembro a 6 dezembro 2020
SESI Centro Cultural Yves Alves
10h às 19h

Ficha técnica:

Concepção: Lucimélia Romão

Performer: Lucimélia Romão

Trilha Sonora: Matheus Correa e Lucimélia Romão

Produtora Executiva e Biológa: Liliane Crislaine

MIL LITROS DE PRETO: A MARÉ ESTÁ CHEIA

O primeiro tiro fere, o segundo tiro causa dificuldade de respirar e o terceiro mata! Então, para que serve o quarto? O quinto? O sexto? O sétimo? O oitavo? O nono? E o décimo tiro? 

 

A maré está cheia. Cheia de balas. Cheia de corpos. Cheia de corpos negros atravessados pelas balas! Transborda dor, transborda morte. Transbordam lágrimas dos olhos das mães periféricas, aquelas mães que sabem que colocaram seus filhos no mundo para serem alvejados pelo estado e pela polícia racista brasileira. É nesse cenário estratégico de abandono que o estado mantém a população negra, em condições sub - humanas.

 

Um corpo. Mudo. Estarrecido. Crivado de dor e sangue. Sete litros. Sete litros de sangue que escoa de cada corpo, enquanto a vida se esvai, a cada 25 minutos, enchendo assim uma piscina de mil litros em cerca de 59 horas. 

 

O genocídio da juventude preta é a política base do estado para com os negros brasileiros desde a escravidão. O extermínio é iminente. Tática de guerra travada contra um povo que nunca teve direito e condições de lutar de igual para igual. Matam-se crianças, adolescentes e jovens. Diminui-se a expectativa de vida. Estupram-se mulheres, crivam de balas seus filhos.

EXPOSIÇÃO | PERFORMANCE

 
FICÇÃO

Cinema

A despedida

Larissa Shepitko / Elém Klimov

Deserto Azul

Eder Santos

Stalker

Andrei Tarkovski

CINEMA

FILMES DISPONÍVEIS

Confira os dias e horários de cada exibição

FICÇÃO

A despedida (Proschanie) | Larissa Shepitko / Elém Klimov

Deserto Azul | Eder Santos

Stalker | Andrei Tarkovski

Hotel Mekong | Apichatpong Weerasethakul

DOCUMENTÁRIOS


Filhas de lavadeiras | Edileuza Penha de Souza

 

A última volta do Xingu | Kamikia Kisedjê, Wallace Nogueira

Cidade submersa | Caetano Dias

A cura do rio | Mariana Fagundes

Água de plantar (Ciclo da Água – 4 episódios )

ANIMAÇÃO


A Sereia (Russalka) | Alexander Petrov

O velho e o mar (Starik e more) | Alexander Petrov

Os navios dos tempos passados (Korabli proshlikh liet) | 
Yuri Bogusslavski

 
 
 
Confluência entre o pensar, o fazer artístico e o manifestar.
26 novembro a 6 dezembro 2020
SESI Centro Cultural Yves Alves
10h às 19h

1/4

EXPOSIÇÃO | ARTES VISUAIS