ARTISTAS E PALESTRANTES 2020

Adilson Siqueia

Anton Dolin

Caetano Dias

Dilma Silva e Souza

Eliane Coelho

Frog

Handerson Joseph

Lucimélia Romão

Mestre-Capitão Prego 

Nilo Nascimento

Vovó Cici

Ailton Krenak

Ângela Gomes

Cássia Lima

Eder Santos

Evgeny Landa

Geneviève Azam

Irineu Franco Perpetuo

Luiz Cruz

Mia Couto

Renata Vanucci

Wallace Nogueira

Alcione Gomes

Ara Harutyunyan

Celeste Estrela

Edileuza Souza

Fernando Rocha

Guilherme Vincens

Isis Ferreira

Marco Ajeje

Mônica Cerqueira

Roberto Victório

Zandra Coelho

Alma Maria Liebrecht

Bernardo Vaz

Cristian Budu

Elise Pittenger

Flávia Motta

Guilherme Gontijo Flores

Iza Reys

Marilda Castanha

Monik Ellen

Sofia Leandro

Andrei Plakhov 

Bruno Santos

Dona Liça Pataxoop

Eliana Alves Cruz

François Andes

Gustavo Carvalho

Lidi Lobo

Matthew Burtner

Nicoli Martins

Svetlana Ruseishvili

BIO

 
Captura de Tela 2020-11-24 às 22.58.32.

Adilson Siqueira

Professor do Curso de Teatro da UFSJ e pesquisador dos Programas de Pós-graduação em Artes Cênicas e Interdisciplinar em  Artes e Urbanidades e Sustentabilidade, onde coordena o ECOLAB-Laboratório de Ecopoéticas do Grupo Transdisciplinar de Pesquisa em Artes, Culturas e Sustentabilidade (GTRANS). Pesquisa as  relações entre Performance, Sustentabilidade e Mudança Climática com vistas a desenvolver arcabouço teórico-prático e estratégias transdisciplinares de ação sócio-comunitária que tenha a performatividade, a negritude e o artivismo como propulsores e implementadores de práticas coletivas contra-hegemônicas e decoloniais que contribuam para uma mudança de atitude frente ao Antropoceno e a injustiça climática desde a perspectiva das artes da cena.

Ak.Tiara.jpg

Ailton Krenak

Ailton Krenak, ativista indígena dos direitos humanos. Nasceu em 1953, no Vale do rio Doce, Minas Gerais, pertence á etnia Krenak. Em 1987, no contexto das discussões da Assembleia Constituinte, liderou a luta pelos princípios inscritos na Constituição Federal do Brasil. Fundou e dirige no Núcleo de Cultura Indígena; criador do Festival de Danças e Culturas Indígenas, na década de 1990, na Serra do Cipó (MG). Em 1987, recebeu o Prêmio Internacional de Direitos Humanos para a América Latina Letellier Moffite, da Fundação Letellier, em Washington DC.  Autor de textos e artigos publicados em coletâneas no Brasil e exterior. Em Janeiro de 2016, foi distinguido com o diploma de ´Professor Honoris Causa´  pela Universidade Federal de Juiz de Fora-UFJF.

12072774_116059168752279_692162206684578

Alcione Gomes

Alcione Gomes do Pilar, lavadeira desde a infância, trabalhou junto a sua mãe no histórico Chafariz da cidade Tiradentes. Desde os 17 anos, mantia o ritual de carregar seu filho na bacia de roupa, durante as madrugadas, até o se pôr do sol. Fala da sua primeira profissão com muito orgulho e carrega consigo histórias de encantar àqueles que a escuta.

Alma Maria Liebrecht

Alma Maria Liebrecht é a trompista principal da Orquestra Filarmônica de Minas Gerais. Foi a trompista do grupo de música de câmara Decoda, e tem se apresentado nos festivais de Música de Câmera de Portillo (Chile), Savannah (EUA), Music from Angel Fire (EUA), Festival Wien Modern (Áustria), Contemplus Festival (República Checa), assim como com os grupos Chamber Music Society of Lincoln Center, Ensemble Connect, New York Wind Soloists, Jupiter Chamber Players, Argento New Music Project e Talea Ensemble. Realizou seus estudos no Curtis Institute of Music e seu mestrado na Yale School of Music com Jerome Ashby e William Purvis, respectivamente.

Andrei Plakhov 

Andrei Plakhov é crítico, historiador de cinema e colunista do jornal Kommersant. Entre 2005 e 2010, foi presidente da Federação Internacional de Críticos de Cinema. Durante a perestroika, Plakhov era secretário da “União de Cineastas de URSS” e chefe do comitê que lançou mais de 200 filmes proibidos pela censura soviética. Ele atua como conselheiro, programador e membro do júri de vários festivais internacionais de cinema, incluindo Berlim, Veneza, Tóquio, San Sebastian, Xangai, São Petersburgo, Moscou. É membro da Academia de Cinema Europeu.

Anton Dolin

Anton Dolin é crítico de cinema. Nasceu em Moscou em 1976, estudou no departamento de filologia da Universidade Estatal de Moscou. Trabalhou nas rádios Ekho Moskvi, RSN, Kino FM, Vesti FM, jornais Gazeta, Vethcernaia Moskva, Vedomosti, Moscow News. Trabalhou como jornalista na revista Afisha e “Arte do Cinema”. Foi apresentador de cinema no programa de TV “Vetchernii Urgant”. Autor de vários livros, recebeu três vezes o prêmio da Guilda dos críticos de cinema da Rússia. É chefe-editor da principal revista sobre o cinema na Rússia “Isskustvo kino”. 

Ângela Gomes

Possui graduação em Engenharia Florestal pela Universidade Federal de Viçosa (1984), mestrado em Control de Contaminación Ambiental - Universidad Politécnica de Madrid (1990) e doutorado em Geografia pela Universidade Federal de Minas Gerais (2009). Atualmente é professora no curso de engenharia Ambiental e engenharia civil no Centro Universitário de Belo Horizonte-UNIBH, coordenou do curso de ecologia do Centro Universitário de Belo Horizonte. Foi Consultora da ONU na Guatemala, foi assessora ambiental na Espanha. Tem experiência na área de engenharia ambiental, geografia urbana, agrária e cultural, com ênfase em biogeografia e etnobotânica negro- africana, atuando principalmente nos seguintes temas: estudos urbanos, educação anti- racista, hidrologia, justiça sócio- ambiental, recuperação de áreas degradadas, agricultura urbana, etnobotânica, meio ambiente e educação

2.jpg

Ara Harutyunyan

Ara Harutyunyan nasceu em uma família de músicos em Yerevan, na Armênia. Ao longo de sua carreira, venceu várias competições nacionais e internacionais e apresentou-se como solista e músico de câmara na Armênia, Rússia, Geórgia, Quirguistão, Líbano, Síria, Suíça, Estados Unidos e Brasil. Foi vencedor de Emin Khachatryan Nationl Competition na Armênia, International Youth competition of Georgia (terceiro lugar). Harutyunyan obteve seu Bacharelado e Mestrado no Conservatório Estadual Yerevan Komitas. Foi membro do Quarteto de Cordas Yerevan e violinista da Orquestra Filarmônica Nacional da Armênia. Em 2011 transferiu-se para os Estados Unidos. Harutyunyan foi spalla assistente da Orquestra Sinfônica de Cheyenne durante um ano antes de se mudar para o Brasil, em 2014, para assumir o cargo de spalla assistente da Filarmônica de Minas Gerais. 

Bernardo Vaz.jpeg

Bernardo Vaz

Bernardo Vaz trabalha desde 2005 junto à organizações populares. Nos últimos 10 anos participou de vários projetos que envolvem artes visuais, cinema e comunicação. É integrante da Cooperativa Eita e recentemente do Instituto Guaicuy. Coordena o Beiras d'Água, projeto que conecta filmes feitos nas periferias do Velho Chico e seus afluentes.

Bruno Santos 

O percussionista Bruno Santos possui graduação e mestrado pela UFMG e doutorado pela Universidade de Aveiro (PT) onde estudou com o percussionista Miguel Bernat. Foi membro fundador do grupo Oficina Música Viva e do trio de percussão Prucututrá em Belo Horizonte. Já trabalhou com grupos e artistas como João Pedro de Oliveira (PT), Toninho Horta, Harvey Wainapel (EUA), Caito Marcondes, Felipe José, Drumming Grupo de Percussão (PT), Simantra Grupo de Percussão (PT), a Orquestra Sinfônica de Minas Gerais. Desenvolve atualmente um duo com a violinista Sofia Leandro, com foco na divulgação da música de compositores da América Latina e da lusofonia.

Caetano Dias

O início da carreira artística do artista visual baiano Caetano Dias é marcada pela participação no Grupo Interferências, com realização de murais em espaços públicos em Salvador. Em 1988, realiza a performance Hormônios de uma Cidade, no Teatro do ACBEU e uma pintura mural na Praça de Oxum/Terreiro Casa Branca. Desde 1995, ministra curso de pintura nas oficinas do Museu de Arte Moderna da Bahia - MAM/BA (Salvador BA). Trabalha com vídeo, pintura, obras tridimensionais, instalação multimídia e fotografia digital. As suas obras foram expostas em diversos museus e centros de arte internacionais, entre os quais destacam-se o Museu Berardo (Lisboa, Portugal), o Ludwig Museum (Coblence, Alemanha), a II Trienal de Luanda (Angola) e a III Bienal de Artes Visuais do Rio Grande do Sul. 

Cássia Lima

Cássia Lima concluiu Bacharelado em Flauta pelo Instituto de Artes da Unesp e mestrado e o Artist Diploma na Mannes College of Music, em Nova York. Venceu as principai